segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A importância de se observar o direito de imagem

 
O Blogosfera Legalizada publicou recentemente um post falando do direito de imagem na internet, um texto bastante esclarecedor e de leitura altamente recomendada pra quem lida com imagens (fotos, gráficos vetoriais etc.) em sites e blogs.
 
É fundamental compreender que nem todas as imagens encontradas na internet são automaticamente de domínio público”, está escrito no início do texto. Lá é citada até lei de nossa constituição para deixar as coisas bem claras. Há ainda um parte falando do cuidado que se deve ter com o uso de imagens pessoais de terceiros.
 
O post do BL termina com 5 dicas importantes que reproduzimos a seguir:
  1. Evite usar imagens encontradas no Google. Muitas vezes a imagem publicada, não pertence ao dono daquele blog ou site que a publicou. Pode ocorrer que a pessoa simplesmente a tenha publicado sem observar a autoria da imagem e se você (re)publica-la em seu blog, poderá incorrer no mesmo erro, infringindo os direitos autorais de outrem;
  2. Procure sempre atribuir os créditos de autoria da imagem, incluindo um link para o site do autor. Se você não tiver certeza que se trata do autor da imagem, inclua um link informando o local que você encontrou aquela imagem;
  3. Verifique se há licença e se tiver, siga todos os termos descritos nela;
  4. Não faça HotLink. Não use uma imagem original no seu blog, copiando o endereço da imagem e colando diretamente na sua postagem;
  5. De preferência, procure usar imagens de domínio público, assim você evita eventuais problemas.
Mas não deixe de ler o post completo, Ok? CLIQUE AQUI e acesse.
 
 
Etiquetas:
Cuidados com direitos autorais de imagens, uso indevido de imagens na internet, dicas para não violar direitos autorais ao usar imagens da internet, violação de direitos autorais de imagens, blogueiros e o uso de imagens

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Tecnologia para filmes estilo Avatar custará US$150

A tecnologia usa o conceito de câmera virtual e um sensor de movimento, tudo empacotado em um pequeno aparelho que deverá chegar ao mercado custando cerca de US$150,00. [Imagem: Abertay University]

Via 

A partir de 2011 será possível usar técnicas semelhantes às usadas no filme Avatar para a produção de animações, ambientes de jogos ou mesmo do seu próximo grande sucesso no Youtube.
Isto se tudo correr de acordo com os planos de Matt Bett, pesquisador da Universidade de Abertay, no Reino Unido.

Câmera virtual
Bett e seus colegas usaram controladores de movimento, semelhantes aos do Wii, para criar câmeras virtuais que podem alimentar em tempo real mundos artificiais gerados por computador.
Para a produção do filme Avatar, James Cameron inventou uma nova forma de filmar, que ele batizou deSimul-Cam, que permite que a imagem gravada seja processada em tempo real - enquanto os atores, usando roupas com detectores de movimento, encenavam em um estúdio vazio, o diretor já os via em sua tela como Na'vis.
Os pesquisadores replicaram a tecnologia usando o conceito de câmera virtual - onde o computador otimiza o que uma câmera pode captar - e um sensor de movimento, e empacotaram tudo em um pequeno aparelho que deverá chegar ao mercado custando cerca de US$150,00.
"O que a tecnologia Simul-Cam permite fazer é uma espécie de realidade aumentada, onde um mundo gerado por computador pode ser visto imediatamente. O que eu quero fazer é colocar isto na sua cabeça, e trazer essa possibilidade para os computadores pessoais," diz Matt.
Filmes caseiros
A ferramenta, batizada de Motus, e que Matt espera colocar no mercado no próximo ano, usa sensores eletromagnéticos Sixense para capturar a posição do controle com uma precisão milimétrica. E, ao contrário dos controles de jogos, o novo aparelho funciona mesmo quando há alguma coisa à sua frente.
"Nós agora podemos manipular uma câmera virtual em qualquer ambiente virtual - seja um filme, um jogo de computador ou um simulador educativo," diz o pesquisador.
A tecnologia permitirá que filmes e animações de grande complexidade e nível profissional sejam produzidos a um custo muito baixo, tornando-se acessível para pequenos estúdios e até mesmo para usuários domésticos.

domingo, 21 de novembro de 2010

Dica de Livro - Documentário: Técnicas para uma produção de alto impacto

via www.nomundoenoslivros.com

Hoje sabemos que muitas pessoas têm acesso a câmeras digitais e a câmeras filmadora e podemos constatar o grande número de pequenos vídeos que surgem na internet a cada dia.

Acompanhamos também o crescente número de documentários que surgem e quem sabe o próximo pode ser o seu?

Você sabe que documentários têm os mais diferentes significados para os mais variados públicos. Gravar um documentário é uma forma de auto-expressão, como canções, livros ou pinturas. O documentário é uma forma de jornalismo independente e sem intermediações. Pelo documentário você de certa forma, compensa o descompasso entre culturas e pode expor outras realidades Documentários Inspiram, Motivam, Educam, Explica além de entreter. Os documentários refletem tudo que é grandioso, desafiador, incômodo e humorístico a respeito da condição humana. Antes de mais nada, porém, devem conquistar o público.

Neste livro você encontrará estratégias claras e eficientes para fazer isso por meio da narrativa.


"Documentário: técnicas para uma produção de alto impacto" sem dúvida é uma obra única por oferecer um olhar profundo à história e à estrutura aplicadas não à ficção de Hollywood, mas a filmes e vídeos que partem de materiais factuais e de dramas da vida real que você mesmo pode fazer. Com a crescente popularidade dos documentários no mercado da mídia global dos dias de hoje, a demanda por narrativas mais impactantes e memoráveis nunca foi tão grande. Este guia prático dispõe os elementos básicos e os aplica a toda uma variedade de assuntos e estilos de filmes, do cinéma vérité e da narrativa pessoal a histórias de arquivo e muito mais.


Os conselhos práticos baseados nos exemplos da vida real foram coletados ao longo da carreira da autora SHEILA CURRAN BERNARD e extraídos da experiência de uma série de cineastas, tanto emergentes como já consagrados. Esta segunda edição já foi atualizada e ampliada, e analisa filmes Super Size Meque já falamos aqui entre outros.

Conheça o blog da escritora: http://docustory.blogspot.com

SHEILA CURRAN BERNARD é cineasta e consultora que incluem transmissão e exibição de documentários em cinemas, museus e salas de aula. Sheila ganhou os mais diversos prêmios como os consagrados Emmy e Peabody.
Recentemente, a autora leciona como professora convidada na Princeton University.

Para comprar o lugar mais barato que encontrei foi no site da própria editora. Clique aqui.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Wylio: Busca rápida na internet de fotos livres de direitos autorais

Uma das maiores dificuldades de blogueiros, tuiteiros e facebookianos, entre outras tribos de internautas, é encontrar na internet fotografias sem restrições de direitos autorais para ilustrar seus blogs e afins quando necessário. Pode-se gastar muito tempo à procura da imagem certa - e no fim das contas descobrir que ela tem todos os direitos reservados.
Pensando nisso, o empresário Dan Evans fundou em Dayton, no estado americano do Tennessee, o Wylio, serviço web que acha para o usuário fotografias que têm seus direitos liberados pelos autores ou usam uma licença aberta. Esse tipo de licença pode ser do tipo copyleft, usada no software livre - que permite o uso por terceiros de uma obra, desde que ela passe adiante a permissão sob a mesma licença - ou uma das várias modalidades do site Creative Commons, que restringem alguns direitos e liberam outros.
Evans montou um belo banco de imagens livres baseadas no site Flickr, e por vezes encontram-se milhares de opções para publicação imediata. E não é preciso ser nenhum expert em tecnologia para usar o site, que é muito simples.
São só três passos. Primeiro, o internauta busca uma imagem por assunto. No nosso caso, procuramos por fotos de rosas (escrevendo roses - mas o site aceita palavras em português na busca). Foram encontradas 97.704 fotos disponíveis, divididas em 4.071 páginas.
O segundo passo é escolher uma imagem. Quando se clica nela, o Wylio abre uma ferramenta para ajeitar a posição da foto para o seu blog, digamos. Ela aparece ao lado de um texto falso para que o internauta tenha uma ideia de como vai ficar. Basta passar o ponteiro do mouse sobre um botão para aumentar ou reduzir a foto. Depois, no canto esquerdo da página, o usuário opta por um alinhamento em relação ao texto - centralizado, à esquerda ou à direita.
Definidos esses quesitos, o passo seguinte é clicar no botão get the code (pegue o código) no canto direito. Ele leva a uma terceira página que exibe, em linguagem de internet, a visualização escolhida pelo usuário. Este deve clicar em cima do código, que é selecionado automaticamente. Agora é só copiar e, depois, colar no espaço do seu post Em nosso teste, colamos o código num novo post na ferramenta Blogger. Na visualização antes de publicar o post, a foto aparece direitinho junto do texto real. (O Wylio recomenda que se cole o código da imagem acima do texto já escrito).
Ajeitado o post, é só botar no ar. A imagem do Wylio já vem com o crédito do autor e um link para o site. Uma observação: se a foto ficar pequena, esses dois elementos ficam um tanto incômodos na visualização final. Portanto, vale fazer testes antes de publicar (se a foto não agradou, basta fechar a página de ajustes do Wylio e voltar às outras opções do mesmo tema, que voltam a aparecer).
Uma dica final: apesar do bom trabalho do Wylio, vale conferir a licença da foto escolhida. Embaixo dela, junto com os créditos, há um atalho more info que leva ao perfil Flickr do autor, com a respectiva licença.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Typedia.com, uma Enciclopédia de Fontes


Hoje  publicamos uma dica útil para designers, webdesigners e qualquer um interessado em Fontes. É a Typedia, a Enciclopédia compartilhada de Fontes.

Typedia é um recurso para classificar e categorizar fontes, um tipo de Wikipédia das Fontes e Tipos. Além de tudo, oferece a possibilidade de você contribuir com o projeto, participar de Fóruns, etc. A página (por enquanto?) está apenas em inglês.


sábado, 6 de novembro de 2010

Sobre uma foto de uma rua em Maputo, Moçambique

Clique para ampliar. Fonte e mais fotos AQUI.


Conheço e não conheço este lugar (e tal contradição, que não é um simples déjà vu, me exaspera, mas me falta aparato verbal, nomenclaturas, para defini-la, circunscrevê-la em palavras). Um simples olhar me faz amar este lugar. Por quê?

Você já viu alguma foto de um lugar desconhecido, foto que lhe causasse aquele tipo especial de saudade melancólica, como se você conhecesse (ou inapelavelmente devesse conhecer, pois não falo de reles 'lembrança') o lugar, como se ele fosse também – seu?

Sinto isso algumas vezes. Sinto-me assim em relação a algumas fotos do mestre Cartier-Bresson, por exemplo. Claro, o cérebro associa a referida imagem a algumas outras lembranças/imagens aprazíveis, que não podemos facilmente identificar. Mas há algo mais por trás disso, algo além da saudade melancólica e do déjà vu – o quê? O leitor experimentado lembrar-se-á porventura do conceito de incosnciente coletivo de Jung (que seria uma espécie de antropo-hiperlink?). Idéia belíssima, mas belíssima falácia, como muito das idéias de seu amigo (e depois adversário) Freud...

Por isso amo a Fotografia – um vídeo, um filme (não posso precisar o porquê) não pode me levar a este tipo de paixão, esta transcendência silenciosa, diria mesmo muda, de tão, tão poética.


Sammis Reachers

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Crie seu próprio filme animado com Dvolver

Via http://br.wwwhatsnew.com


Entre a enorme quantidade de opções que temos para fazer desenhos animados pela Internet, hoje vou lhes falar da ferramenta oferecida pelo Dvolver.
É o moviemaker, uma aplicação muito simples de usar onde devemos escolher o cenário, protagonistas e situação antes de começar a escrever os diálogos. Ao finalizar será gerada uma animação em Flash pronta para ser divulgada em páginas web, redes sociais, email, etc.
Muito interessante para ilustrar o conteúdo de uma publicação digital com diálogos e comentários personalizados, ainda que sinto falta de mais opções de personagens e cenários para personalizar ainda mais a experiência.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails